quarta-feira, junho 14, 2006

Ela não existe - nós existimos nela.
E faço este discurso envergonhado
(mas algo hei-de dizer enquanto sinto
que não é o meu fim que ali se encontra
mas o príncipio) como quem senta
o rabo na borda da cadeira e escorregando
se afunda lentamente pelo chão : a viagem
é essa, esse é o rio - ou ela.

Pedro Tamen