sexta-feira, março 31, 2006


" Nada te fere, nada te ofende. Numa paisagem de água, tranquilamente, estendes os teus ramos que só a brisa afaga. A brisa e os meus dedos fragrantes do teu rosto." Eugénio de Andrade.

quinta-feira, março 30, 2006


"A noite trouxe-te. Onda de sinais e rumos desencontrados. Até esse lugar onde, sem saber, te vim esperar. Selo de eternidade ou esquecimento breve. É a vertigem. " Silvina Rodrigues Lopes. Fotografia de Nanã Sousa Dias.

quarta-feira, março 29, 2006


... mas encontro-me aqui .

terça-feira, março 28, 2006


... ou aqui

segunda-feira, março 27, 2006

Quebrar rotinas.


A glória pesa como um fardo rico,
A fama como a febre,
O amor cansa, porque é a sério e busca,
A ciência nunca encontra,
E a vida passa e dói porque o conhece...
O jogo de xadrez
Prende a alma toda, mas perdido, pouco
Pesa, pois não é nada.

Ricardo Reis

domingo, março 26, 2006


" Perto ou longe de ti, a minha fronte assume os raios decantados que sustentam o dia. Os seres e as coisas arfam por uma boca única, unânime com a minha face, as minhas mãos, o mar. Deito-me na terra e peço-lhe o torpor do poente. " José Bento.

sábado, março 25, 2006


" Aproximei-me do teu rosto como uma vogal branca e acariciei-o como se acaricia uma nascente de linho ou uma pequena estrela limpa uma andorinha branca e com os meus dedos soletrei-lhe todas as minúcias mágicas. " António Ramos Rosa. Fotografia de Eric Kellerman.

sexta-feira, março 24, 2006


" a janela que abre para o mar continua fechada só nos sonhos me ergo abro-a deixo a frescura e a força da manhã escorrerem pelos dedos prisioneiros da tristeza acordo para a cegante claridade das ondas." Al Berto. Fotografia de Eric Kellerman.

quinta-feira, março 23, 2006


" Há pouquíssimo tempo, isto é, uma vida, ao caminhar no escuro encontrei-me com cristo / jesus) o meu coração saltou-me do peito e ficou quieto enquanto ele passava ( tão perto como eu estou de ti sim, mais perto feito de nada excepto de solidão." E.E.Cummings. Fotografia de Eric Kellerman.

quarta-feira, março 22, 2006



"Percorri os desertos, o inverno era a estação preferida e sobretudo a noite. Viajava entre corpos e alma, esse mundo parecia não ter fim; o seu limite era como um segredo, um olhar desafiando a morte enquanto esperava por novas ilusões. " Fernando Pinto do Amaral. Fotografia de Eric Kellerman.

terça-feira, março 21, 2006


" Neve, frio, humidade no corpo; a cara escura do monte. Uma imagem oferecida no fim, que suaviza tudo: árvores prateadas, transparentes, a brilhar na descida. Não estavas ali mas tinhas os meus ollhos." Marcos Canteli. Fotografia de Eric Kellerman.

segunda-feira, março 20, 2006


" Também tu não que estás no meu destino, sempre menos do que eu no teu. Assim te espero. Há um bosque que se ergue no meio do rio. Eu declaro que tu és esse bosque, esse rio, essa beleza insólita a meio de uma fuga. " Juan Antonio González I. .Fotografia de Eric Kellerman.

domingo, março 19, 2006


" O amor ofereceu-me o teu rosto absoluto, projectou os teus olhos no meu céu e segreda-me agora uma palavra:o teu nome_essa última estrela quase a morrer pouco a pouco embebida no meu próprio sangue e o meu sangue à procura do teu coração. " Fernando Pinto do Amaral. Fotografia de Eric Kellerman.

sábado, março 18, 2006


" Hoje eu vi-te acabada em ti mesma, vi-te fugir sem direcção para as coisas, e entretanto li entre as tuas sobrancelhas que o mar é um jardim que foge da tarde e um monte com perfume no olhar, " Antonio Lucas. Fotografia de Luc Selen.

sexta-feira, março 17, 2006


"Como quem, liberto de tudo o que, a razão ou o desejo, altera o coração, volta aos incoincidentes sítios adolescentes dentro de si nem fora de si, e aquilo, pouco, que do passado lhe pertence é um sonho alheio, " Manuel António Pina. Fotografia de Yuri B.

quinta-feira, março 16, 2006


" Mas vem até mim em sonhos, para que possa de novo viver / A minha vida verdadeira, embora fria na morte / Vem de volta para mim em sonhos, para que possa dar / Pulsar por pulsar, alento por alento: / Fala baixinho, inclina-te mais / Como há tanto tempo, meu amor, há quanto tempo." Christina Georgina Rossetti. Fotografia de Alenadre T. .

quarta-feira, março 15, 2006


" Sem amores, nem ódios, nem paixões que levantam a voz, / Nem invejas que dão movimento de mais aos olhos, / Nem cuidados, porque se os tivesse o rio sempre correria, / E sempre iria ter ao mar." Ricardo Reis. Fotografia de Graça.

terça-feira, março 14, 2006


.

segunda-feira, março 13, 2006


" agora tu eras como o tempo despido dos dias, por fim vulnerável e nu, e eu era por ti adentro eternamente / lentamente como só lentamente se deve morrer de amor" Valter Hugo Mãe. Fotografia de Jomané.

domingo, março 12, 2006


" Porque és o meu aposento, és minha casa e morada, e assim chamo em qualquer tempo, se acho no teu pensamento estar a porta fechada. / Fora de ti, não há buscar-me, porque para achar-me a Mim basta somente chamar-me; vou a ti sem demorar-me, e a Mim buscar-me-ás em ti." Santa Teresa de Ávila. Fotografia de Ana Isa Fonseca.

sábado, março 11, 2006


" Na solidão da mesma noite e do mesmo monte onde vasos de luz ainda há pouco se entornavam. / Com a palma da mão cobrindo os olhos, na retina o fluxo de antigos silêncios, a ciência do poente perdida na terra firme do quarto / onde há-de caber sempre o rosto de uma figura romântica cismando sobre um mar de nuvens. " Rui Lage. Fotógrafo Desconhecido.

sexta-feira, março 10, 2006


"Que o meu silêncio seja a tua canção! / De que te serve o ciciar do deserdado, / Que dos jardins da vida se afastou? / Deixa-te em mim ser o não nomeado- / Como se em mim te erguesses sem sonhar, / Como a ausência de toque nos sinos, / Como a noiva de mel da minha dor / E a papoila ébria dos meus sonhos." Georg Trakl. Fotografia de José Gama.

quinta-feira, março 09, 2006


" aproximo-me de falar, mas ambiciono guardar o silêncio; é duvidoso que lhe agrade a simplicidade deste paradoxo. / o seu olhar trespassa-a. a sua face é branca. protejo esse lugar onde as tuas palavras começam. " António Franco Alexandre.

" A palavra-silêncio do seu corpo entra no íntimo de nós onde recolhe o sonho de viver que só pode revelar-se numa infinita contemplação /que não pode deter-se em nenhum sentido porque é o incessante, o interminável sim do amor." António Ramos Rosa. Fotografia de Dominique Lefort.

quarta-feira, março 08, 2006

8 de Março. Dia Mundial da Mulher.


" Aqui me sentei quieta / Com as mãos sobre os joelhos / Quieta muda secreta / Passiva como os espelhos / Musa ensina-me o canto / Imanente e latente / Eu quero ouvir devagar / O teu súbito falar / Que me foge de repente. " Sophia de Mello Breyner Andresen. Fotografia de Stephen Haynes.

terça-feira, março 07, 2006


" Teu corpo acolhedor calma baía recorta-se na luz agora a esta hora e alegra mesmo até a alegria / Pressinto que vieste e finalmente veio alguém que verdadeiramente vem sem bem se saber quem" Ruy Belo. Fotógrafo desconhecido.

segunda-feira, março 06, 2006


" A vida, como sabes, tem o tempo da areia que se escapa por entre os dedos. Areia rápida e branca. Esvoaçante. Agora, a ausência - a tua - é um rosto silencioso. E a tua mão está enterrada no tesouro das horas. Finges dormir para que a dor não deixe rastro no sangue. Nada se move dentro ou fora de ti, excepto o vento no interior dos ossos... " Al Berto. Fotógrafo desconhecido.

sábado, março 04, 2006


" Verdadeiramente o teu chamamento meu amor nu, me, / A música torna-se minuciosa e delicada, delirante sobre os ossos que rodeiam o teu ventre rigoroso e evidente na claridade que esta sombra esta música protege e expande. " Manuel Gusmão.

" De tal sorte pôde amor, alma, em Mim te retratar, que nenhum sábio pintor sab'ria com tal primor tal imagem estampar. Fostes por amor criada formosa, bela, e assim em meu coração pintada; se te perderes, minha amada, alma, buscar-te-ás em Mim. " Santa Teresa de Ávila. Fotografia de Jacek Pomkalski.

sexta-feira, março 03, 2006


"Ocupa de toda a tua força e de todo o teu poder quente / Meu coração a ti aberto! Como uma espada trespassando meu ser erguido e extático, / Intersecciona com o meu sangue, com a minha pele e os meus nervos, / Teu movimento contínuo, contíguo a ti-própria." Álvaro de Campos. Fotógrafo desconhecido.

quinta-feira, março 02, 2006


" Deito-me cedo contigo o meu sono é leve para a liberdade acordas-me só de pensares nela. As casas e os bichos apoiam-se em ti. Não fujas não te mexas: vou fixar-te para sempre nessa posição." Luiza Neto Jorge. Fotógrafo desconhecido.

quarta-feira, março 01, 2006


" não penso para onde foste porque o meu peito, sem ti, fica atravessado por lâminas, tenho um silêncio dentro. toco os sítios onde estiveram as tuas mãos. sinto o que sentiste. " José Luís Peixoto. Fotografia de Stephen Haynes.