terça-feira, junho 20, 2006

. Obrigada a todos.

Por muito tempo se recordam
chamas, matagais, forças que tínhamos
à espera do seu regresso
mas vive-se de um momento para outro
a imensidão flagrante dos contrastes
nomes imóveis, repleto
so desejo assinala

é assim que rodo
à volta de lugares desconhecidos
nenhum corte me doeu
nunca estive sozinha

José Tolentino Mendonça

segunda-feira, junho 19, 2006

DESABAFO.

Este é um post indignado e definitivo. Estou cansada de intrigas, maledicência, inveja, , insinuações anónimas, insultos. Para que fique claro isto são só blogues. Eu tenho para lá disso vida real e pessoal. Sou casada e tenho uma filha. Por favor não incomodem nem se intrometam no que não devem.

O corpo quer dormir e despertar numa coluna branca
que não seja palavra mas silêncio e mar
na delicadeza ardente e fresca de uma delícia aérea

António Ramos Rosa

sábado, junho 17, 2006

Como as rosas selvagens, que nascem
em qualquer canto, o amor também pode nascer
de onde menos esperamos. O seu campo
é infinito: alma e corpo. E, para além deles,
o mundo das sensações, onde se entra sem
bater à porta, como se esta porta estivesse sempre
aberta para quem quiser entrar.

Nuno Júdice

Mais uma das canções da minha vida. Bom fim de semana.

Ziggy played guitar, jamming good with Weird and
GillyThe spiders from Mars. He played it left hand
But made it too far
Became the special man, then we were Ziggy's band

Ziggy really sang, screwed up eyes and screwed down hairdo
Like some cat from Japan, he could lick 'em by smiling
He could leave 'em to hang
Came on so loaded man, well hung and snow white tan.

So where were the spiders while the fly tried to break our balls
Just the beer light to guide us,
So we bitched about his fans and should we crush his sweet hands?

Ziggy played for time, jiving us that we were voodoo
The kids were just crass, he was the nazz
With God given ass
He took it all too far but boy could he play guitar

Making love with his ego
Ziggy sucked up into his mind
Like a leper messiah
When the kids had killed the man I had to break up the band.

Oh yeah
Ooooooo
Ziggy played guitaarrrrrr


David Bowie

sexta-feira, junho 16, 2006

o prazer e a dor são apenas aparências
( um a si se mostrando, a si se escondendo outro )
o único e verdadeiro valor da vida é
o amor faz a pequena diferença das coisas

E.E. Cummings

quinta-feira, junho 15, 2006

Esta dor não passa quando adormeço
chora ao pé de mim
irremediável

alguém nos toca no ombro e
damos por nós mais
sozinhos

o meu lugar na morte
é junto da janela
logo atrás de ti

Mário Rui de Oliveira

quarta-feira, junho 14, 2006

Ela não existe - nós existimos nela.
E faço este discurso envergonhado
(mas algo hei-de dizer enquanto sinto
que não é o meu fim que ali se encontra
mas o príncipio) como quem senta
o rabo na borda da cadeira e escorregando
se afunda lentamente pelo chão : a viagem
é essa, esse é o rio - ou ela.

Pedro Tamen

segunda-feira, junho 12, 2006

Paguei o bilhete. Cumpri o dever. Sou vulgar.
E tudo isto são coisas que nem o suicídio cura.

Álvaro de Campos

domingo, junho 11, 2006

Tudo será construído no silêncio, pela força do silêncio, mas o pilar mais forte da construção será uma palavra. Tão viva e densa como o silêncio e que, nascida do silêncio, ao silêncio conduzirá.

António Ramos Rosa


Imagem tirada deste blogue. Obrigada Raul.

sábado, junho 10, 2006

A mulher, tal como um livro, não se lê. Não se deixa ler, lê-se nela.
Vêem-se nuvens, imagens que já passaram.


Casimiro de Brito

quinta-feira, junho 08, 2006

muda de pele
uma outra e outra denegrir-se-á verás
rombo certeiro no sopé do coração
noctívaga vaga era uma vez vénia rápida
um acrescente na mira de ser se

Rui Baião

terça-feira, junho 06, 2006

O sol é subterrâneo, aquele a que eu
me quero hoje estender é o do meu espírito, é preciso
cavar bem fundo até o fazer surgir.

Luís Miguel Nava

domingo, junho 04, 2006

não paro de olhá-la! de desvanecido,
minha mão lhe toca com veneração
dou-lhe o meu afago depois de a ter lido
ponho nela o beijo do meu
coração.

Ibn Habîb